n w

banner
Você está em:   Home Campus Recife
  
Campus Recife
Índice do Artigo
Campus Recife
Sobre a Reitoria
Sobre a FCM
Sobre a CISAM
Sobre a POLI
Sobre a FCAP
Todas Páginas

O campus Recife é composto por:

  • Reitoria
Site: http://www.upe.br/reitoria
  • Faculdade de Ciência Médicas - FCM
Site: http://www.fcmupe.com.br
  • Faculdade de Ciências Biológicas de Pernambuco - ICB
Site: http://www.icb.upe.br
  • Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças - FENSG
Site: Em Construção.
  • Escola Superior de Educação Física - ESEF
Site: http://www.esef.upe.br
  • Hospital Universitário Oswaldo Cruz - HUOC
Site: Em Construção.
  • Centro Integrado de Saúde Amaury de Madeiros - CISAM
Site: http://www.cisamupe.com.br
  • Pronto Socorro Cardiológico Professor Luiz tavares da Silva - PROCAPE
Site: Em Construção.
  • Biblioteca Central Oliveira Lima
Site: Em Construção.
  • Escola Politécnica de Pernambuco - EPP- POLI
Site: http://www.poli.br
  • Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - FCAP
Site: http://www.fcap.adm.br
  • Faculdade de Odontologia de Pernambuco - FOP
Site: Em Construção.

Órgão maior da administração da UPE, a Reitoria coordena todas as atividades da instituição. Instalada na sede do Campus de Sto Amaro, a Reitoria e os órgãos que a compõem são responsáveis pelo planejamento, execução e fiscalização de tudo que acontece na Universidade.



A Universidade de Pernambuco - UPE é uma instituição de direito público, instituída pela Lei Estadual no. 10.518 de 29 de novembro de 1990 e reconhecida através da Portaria no. 964, de 12 de junho de 1991, do Ministério da Educação, vinculada à Secretaria de Ciência e Tecnologia e Meio Ambiente do Estado de Pernambuco. A estrutura da UPE é multicampi, contando com 10 unidades de ensino superior, das quais três estão situadas no Sertão, Agreste e Zona da Mata do Estado, contando com 100 cursos de graduação e pós-graduação, perfazendo aproximadamente 10.000 alunos matriculados em 2003. Entre as suas 08 Unidades de Saúde destacam-se para a formação médica a Faculdade de Ciências Médicas - FCM, o Instituto de Ciências Biológicas - ICB e três unidades hospitalares, o Hospital Universitário Oswaldo Cruz - HUOC, o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros - CISAM e o Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco - PROCAPE.

A Faculdade de Ciências Médicas - FCM, fundada em 1950, conta com um corpo docente constituído por 187 professores, lotados em 4 Departamentos: Medicina Clínica, Medicina Cirúrgica, Materno-Infantil e Medicina Social. Destes, 104 (56,5%) encontram-se sob regime de trabalho de 40 horas semanais. Quanto à titulação, desde 1990, tem havido estímulo à capacitação dos docentes da FCM, atendendo às diretrizes fixadas pela UPE. Atualmente, mais de 5% destes docentes são pós-graduados stricto sensu, respectivamente, 67 (31,4%) mestres, 34 (18,5%) doutores e 4 (2,2%) livre-docentes Em 2005, 22 (11,9%) professores encontram-se em processo de capacitação, respectivamente, 4 cursando o mestrado e 18, o doutorado. Um dos resultados observados deste investimento tem sido o crescimento do número de grupos de pesquisa da FCM cadastrados junto ao CNPq, contamos atualmente com 28 grupos de pesquisa.

A FCM, cujo corpo discente na graduação é constituído por cerca de 920 alunos, desde 1990, incorporou em sua gestão a prioridade com a reforma do ensino médico. Integrante, desde o seu início, da CINAEM - Comissão Interinstitucional de Avaliação do Ensino Médico e participando, ativamente, das discussões promovidas no âmbito da Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), internalizou a reflexão sobre o tema da reforma do ensino com a realização, com freqüência bianual, de Encontros Pedagógicos, eventos abertos a professores e discentes, ocasião em que são analisadas as diretrizes curriculares, o perfil do egresso, o planejamento curricular, a sensibilização e a capacitação pedagógica dos docentes. A partir de 2003, com sua aprovação no Programa de Incentivo a Mudanças Curriculares dos Cursos de Medicina (PROMED), a FCM está recebendo recursos da OPAS/OMS para implantar as alterações apresentadas na proposta de Reforma Curricular ao Ministério da Saúde e Ministério da Educação. Além das profundas mudanças no modelo pedagógico, incluindo a ampliação dos cenários das práticas, uma das prioridades tem sido a busca da inserção precoce dos alunos de graduação na pesquisa científica.

A experiência da FCM na Pós-graduação lato sensu teve início em 1970, com o surgimento dos programas de Residência Médica. Atualmente, são oferecidos 14 programas (Cardiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Cárdio-torácica, Cirurgia Pediátrica, Clínica Médica, Dermatologia, Doenças Infecciosas e Parasitárias, Mastologia, Medicina Preventiva e Social, Medicina Intensiva, Obstetrícia e Ginecologia, Cancerologia Pediátrica, Pediatria, Urologia), todos credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica - CNRM. Ademais, a FCM tem oferecido cursos de especialização nas áreas de Cardiologia, Citopatologia, Oncologia Pediátrica, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Saúde Coletiva, Gastroenterologia, Mastologia, Programa de Saúde da Família, Vigilância Sanitária e Vigilância em Saúde.

A vivência da FCM na área stricto sensu é mais recente, tendo início em 1993, com a implantação do mestrado na área de Tocoginecologia, sediado no CISAM, uma das unidades de referência para o SUS na atenção à mulher. Inicialmente, este foi programado oferecendo 06 vagas, com entrada a cada 2 anos. A partir de 1999, a seleção passou a ser anual, disponibilizando 04 vagas até 2003, quando, com a inclusão de novos docentes, houve a ampliação para 06 vagas, posteriormente 12 vagas, mantendo processo seletivo anual. Foram, neste período, matriculados 57 alunos, defendidas 32 dissertações, e apenas uma evasão total de 05 alunos. É nítida a repercussão deste curso na produção científica dos grupos de pesquisa a ele vinculados, dando origem a mais de 60 trabalhos publicados em periódicos nacionais e internacionais. Este curso, apoiado e incluído no Sistema Nacional de pós-graduação da CAPES sob o número 25004018004P5, foi avaliado com a nota 3 no triênio 2001-2003. A integração deste com a graduação tem se constituído, também, em prioridade, oportunizando o envolvimento de alunos da graduação em projetos de iniciação científica, articulados a duas linhas de pesquisa do corpo docente.

Em 1996, a UPE, em convênio com a Universidade de São Paulo, através da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, submeteu à CAPES e obteve aprovação de projeto para implantação do Curso de Mestrado Interinstitucional em Ciências Médicas, tendo, ainda, como instituição associada, a Fundação HEMOPE - Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco, que integrou-se através da participação de 03 técnicos, na condição de alunos, e de 02 professores doutores, líderes dos grupos de pesquisa: Estudos em Hemoterapia e Estudos em Hematologia, ambos com alunos bolsistas de iniciação científica. Como um dos produtos, houve a capacitação de 07 profissionais, sendo 02 docentes da UPE, um do ICB e um da FCM, e 05 médicos, 03 cardiologistas, funcionários da UPE, exercendo a função de preceptoria da graduação no HUOC e 02 médicos hematologistas do HEMOPE, também preceptores. Vale ressaltar que esta experiência, além da capacitação destes profissionais, possibilitou que 03 destes, já tenham concluído o seu doutorado, todos pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Esta parceria contribuiu ainda, através do estreito vínculo interinstitucional estabelecido, principalmente no desenvolvimento das dissertações, para o amadurecimento dos docentes e pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas, do HUOC, do Instituto de Ciências Biológicas e da Fundação HEMOPE, fortalecendo a perspectiva de criação de um Mestrado Institucional, com vistas a atender a demanda de formação de docentes e pesquisadores para as Universidades das regiões Norte e Nordeste.

A decisão política de se buscar fortalecer o trabalho coletivo entre as unidades de ensino componentes, instituída a partir do reconhecimento da UPE como universidade, aliada à exigência sentida nos últimos anos de uma estreita articulação, visando a implantação da reforma do ensino médico, associadas ainda à participação conjunta de docentes da FCM e ICB em alguns projetos de pesquisa, especialmente, os dos Grupos de Estudos em Gastrohepatologia e de Biotecnologia aplicada à área de saúde, têm acarretado um profícuo trabalho conjunto entre docentes de ambas instituições e de profissionais do HUOC, que deverá ser aprofundado no decorrer deste curso.

O HUOC (Hospital Universitário Oswaldo Cruz) foi fundado em 23 de novembro de 1884, para atendimento dos pacientes portadores de varíola e de outras doenças contagiosas da cidade do Recife. Em 18 de outubro de 1925 passou a denominar-se Hospital Oswaldo Cruz, compondo o sistema hospitalar do Estado de Pernambuco. Situado no campus de Santo Amaro, adaptou-se à realidade de Hospital Escola, a partir de 1964, voltado para o ensino e pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco- FCM, Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças- FENSG, Instituto de Ciências Biológicas - ICB e da Escola Superior de Educação Física - ESEF. A Faculdade de Odontologia de Pernambuco - FOP, embora situada fora do campus, desenvolve, também, atividades de ensino e estágio no âmbito do HUOC. O HUOC, com 360 leitos e 52 ambulatórios, é dotado de estrutura física pavilhonar de 18.000m², possui uma área suplementar de 5.200m², destinada exclusivamente ao ensino, à pesquisa e à extensão dos cursos de graduação e pós-graduação. Atualmente, constitui-se em unidade de referência nas áreas de Cardiologia clínico-cirúrgica, Doenças Infecto-contagiosas, Pneumologia, Clínica Médica e Cirúrgica e Oncologia. São realizadas por ano cerca de 10.500 internações, 4.000 cirurgias de grande porte e aproximadamente 190.000 consultas ambulatoriais nas diversas especialidades. Em 2003 houve ampliação da estrutura física da Clínica Médica, ampliando a oferta em mais 128 leitos, com verbas do REFORSUS. A Universidade de Pernambuco, através do HUOC, tem se destacado na área cirúrgica, pelo seu Centro de Transplante de Fígado e Cirurgia Cardíaca. Ademais, foi construído com financiamento do Ministério da Saúde e governo estadual, anexo ao HUOC, o Hospital do Coração - PROCAPE, com 202 leitos, para atender à demanda reprimida nesta área.

INTERCÂMBIOS:
Atualmente, estão estabelecidos intercâmbios institucionais com entidades internacionais:
- London School of Hygiene and Tropical Medicine, King's College e St Thomas Hospital de Londres, através dos pesquisadores da linha de pesquisa de doenças infecciosas
- Departamento de endocrinologia do Hospital St Bartholomew, Universidade de Londres
- Departamento de Endocrinologia da Columbia University, New York, USA, através da linha de pesquisa de metabolismo ósseo
- Miami University e University Medical Center Ljubljana - Eslovênia, através do grupo de pesquisa em cardiopatias.
- St Thomas Hospital de Londres através de linha de pesquisa em doenças infecciosas
- Universidade de Trieste, Itália, através da linha de pesquisa em Estudo do Polimorfismo da MBL em Doenças Infecciosas.

No momento são estabelecidos vínculos institucionais a nível nacional com:
- Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
- Faculdade de Medicina da USP- Ribeirão Preto
- Universidade Federal da Bahia
- Universidade Federal do Rio Grande do Sul
- Escola Paulista de Medicina/UNIFESP
- Universidade Federal do Rio de Janeiro
- Universidade Federal da Paraíba
- Hemocentro de Pernambuco (HEMOPE)
- INCOR - Instituto do Coração de São Paulo
Este intercâmbio não somente permite a realização de pesquisas em cooperação, resultando em maior massa crítica produtiva, bem como promovem capacitação de recursos humanos contextualizados com a realidade nacional o que contribui no processo reflexivo de criação de novas linhas de pesquisa para o programa. Convênios de cooperação técnica entre a UPE e a Universidade Federal de Pernambuco tem gerado publicações científicas e projetos financiados na área de Biossensores, que por seu caráter multidisciplinar envolvem o Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami-LIKA, Centro de Informática e Departamento de Física e o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPQAM-P).
Ademais a coordenação de projetos de pesquisa a nível nacional, como por exemplo o Estudo da Prevalência de Hepatites, tem permitido ampla articulação com outros centros formadores do país.



O Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros – CISAM/UPE, referência no Estado no atendimento integral à gestante portadora de DST/HIV/AIDS. Inserido num contexto de humanização, marca registrada do CISAM/UPE, presta atendimento integral à saúde da mulher, da criança e apoio familiar. Uma equipe multidisciplinar, composta por tocoginecologistas, pediatras, dermatologistas, cirurgiões-dentistas, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros treinados em transmissão vertical das DST/HIV/AIDS fazem o diagnóstico, assistência terapêutica e psico-social, durante o pré-natal, parto e acompanhamento no puerpério tanto da mãe quanto do bebê.



A ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO foi criada em 06 de março de 1912, com a publicação, no Diário Oficial, do seu estatuto, a partir de um sonho acalentado por abnegados educadores, professores do Gymnasio Pernambucano , unidade de ensino médio, a qual, podemos dizer, foi uma entidade madrinha da nova escola de engenharia fundada no estado.

Hoje, decorridos quase noventa anos da sua criação, no limiar de um novo milênio, vemos a ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO DA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO , com a jovialidade e informalidade que lhe é peculiar, crescer e se renovar, com o oferecimento de novos cursos, para melhor atender à demanda da sociedade e formar recursos humanos capazes de alavancar o desenvolvimento de nosso Pernambuco, do Nordeste e do Brasil.

A atuação da POLI no contexto acadêmico sempre foi da busca do melhor para o Estado, bastando citar que o apoio da ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO , que se agregou, em Janeiro de 1952, à UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO - UNICAP, propiciou e ajudou o reconhecimento, pelo Ministério da Educação - MEC, daquela que seria a terceira Universidade de nosso Estado. E não parou nesse episódio a ação da POLI, pois em 1966, se incorporou à FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE PERNAMBUCO - FESP, e, a partir dessa data, participou da luta pela criação da quarta universidade do Estado, a UNIVERSIDADE DE PENAMBUCO - UPE , o que ocorreu em 1990, com o reconhecimento pelo MEC.

Laboratórios



O início da FCAP foi numa sala de aula do prédio da Universidade Católica de Pernambuco, em 1965. Dois anos depois, passou a ocupar um antigo prédio da Escola Técnica Federal na Conde da Boa Vista e, finalmente, em 1974, foi inaugurado a sede na Avenida Abdias de Carvalho, na Madalena, onde está até hoje.

O primeiro diretor da FCAP foi Clélio Lemos e o primeiro vice, João Coutinho Cabral de Mello. Ambos, junto a Léucio Lemos são considerados os fundadores da FCAP. Desde 2002, a FCAP é administrada pelo diretor Osvaldo Cabral de Mello Neto (filho de João Coutinho) e pelo vice diretor Arandi Maciel. As eleições diretas na FCAP acontecem a cada quatro anos, quando votam alunos, funcionários e professores.

Há 35 anos, a Faculdade de Ciências da Administração Pernambuco - FCAP compõe uma das 12 instituições de ensino público superior vinculadas à Universidade de Pernambuco - UPE.

Ao longo de sua existência, a FCAP vem conquistando posição de destaque nacional entre os cursos de Administração de Empresa no País.

No primeiro semestre de 2001, foi a única instituição pública estadual de ensino apontada na publicação "O que podemos aprender com os cursos 6A ?", da editora Makron Books, sobre os 13 melhores cursos de Administração no Brasil, todos com Conceito 5A. Consolidou o intercâmbio com universidades da Espanha e de Portugal, realizando o Seminário "Gestão do Conhecimento: Novos Modelos Gerenciais e Tecnológicos do Século 21", com a participação de dois mestres de Portugal. Também promoveu um curso de pós-graduação, em Gestão de Turismo, com o professor Manoel Salgado, do Instituto Politécnico da Guarda.

Ex-alunos - A preocupação com o ensino é uma constante na FCAP. Além do alto nível dos docentes, a Faculdade investe periodicamente em infra-estrutura física e tecnológica. Hoje, em todas as salas de aulas da Graduação, existe uma TV, um vídeo e computador que trabalham em sinergia.

Todos esses investimentos resultam na qualificação dos alunos formados pela Faculdade e essa realidade está no mercado local e nacional. Pelas salas de aula da FCAP, já passaram profissionais que hoje atuam com destaque tanto na administração pública quanto privada. O vice governador de Pernambuco, Mendonça Filho, é o maior exemplo. Mendoncinha formou-se pela FCAP em 1984 e até hoje mantém estreitas relações com a Faculdade, onde eventualmente realiza palestras ou participa de eventos.

Além dele, o presidente da Empetur, Fred Loyo, o presidente da Assembléia Legislativa, Romário Dias, o vereador Carlos Alberto Gueiros e o administrador de Fernando de Noronha, Sérgio Salles, são outros nomes que atuam na administração pública do Estado. Na área privada, destaca-se o presidente da AGANOR para a América Latina, Fernando Tadeu de Castro Mota, e o diretor de Marketing da Bandeirantes Mídia Exterior, Marcelo Santos.

Ratificando ainda mais essa posição, está o concurso público da Chesf, onde na relação de aprovados na categoria Administrador (o mais concorrido), os três primeiros lugares foram de ex-alunos da FCAP.

Entre os 10 primeiros, oito são ex-alunos, enquanto os outros dois são de instituições de Salvador (4°) e Maceió (10°). No total dos 32 aprovados, 13 são da FCAP.